CEFISA

CEFIMET. Linha 6 do Metrô de Madri- Espanha.
A CEFISA instala em tempo recorde o sistema de arraste entre sete sub-estações, na linha seis do Metro de Madrid.

A linha aérea, ou catenaria, de uma linha de metrô ou ferroviária está dividida em setores que são alimentados pelas sub-estações de tração. Cada setor pode ser conectado com seus setores colaterais mediante seccionadores/interruptores chamados normalmente seccionadores de catenaria.

Quando se fecha um seccionador de catenaria situado entre dois setores alimentados por duas sub-estações diferentes, estas passam a alimentar em paralelo aos dois setores.

Esta circunstancia se da normalmente quando a potência disponível em uma só sub-estação não é suficiente para alimentar ao conjunto de unidades que podem circular por estes setores, ou quando a tensão disponível nos pontos mais afastados das sub-estações seja insuficiente para a correta alimentação das unidades devido à queda de tensão na linha aérea.

A alimentação em paralelo de um setor de linha aérea desde duas ou mais sub-estações de tração tem duas implicações:
  1. No caso de falha na linha aérea em um setor, para poder liberá-la, deve-se proceder a desconexão simultânea de todas as sub-estações que alimentam ao dito setor. O tempo necessário para liberar a falha, resulta crítico para minimizar os efeitos secundários da mesma.
  2. No caso de desconexão de uma sub-estação da rede pública, esta segue alimentada pela a linha aérea. Esta instalação de tensão é extremamente perigosa para o pessoal de manutenção pelo risco de se produzir contatos diretos e indiretos.
Os sistemas de arraste entre sub-estações persistem em evitar estas duas situações mediante a instalação de um sistema de comunicação de extrema rapidez e viabilidade que permita emitir ordens de disparo desde uma sub-estação de tração a suas sub-estações colaterais.

Estas ordens de disparo devem estar sujeitas às condições de topologia da rede elétrica.
 

Últimas notícias

Veja notícias anteriores